quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

APRESENTAÇÃO


Olá, meu nome é Ana Carmen e sou educadora há quase 30 anos.
No decorrer da minha caminhada profissional, percebi algumas coisas que gostaria de compartilhar com vocês.Percebo nos pais certa relutância em aceitar que seu filho tenha algum tipo de dificuldade de aprendizagem. Sei que não deve ser fácil, mas será que fazer de conta que o problema não existe vai mudar alguma coisa? Ou será que vai apenas adiar uma decisão que quanto antes for tomada, menos sofrimento vai causar a família?
Quando o professor resolve contatar a família e encaminhar para um atendimento especializado é porque algo foi observado na criança e que necessita ser verificado e trabalhado. O que ocorre é que os pais demoram a buscar esta ajuda, acreditando que o professor exagerou, que o filho vai acabar superando a dificuldade, que é normal...quando crescer passa .O tempo passa e com ele a dificuldade aumenta e se instala. Quando estes pais nos chegam para avaliação a família toda está em desarmonia. A criança sofrendo todo tipo de discriminação, auto-estima em baixa, odiando ir para escola, tendo dores de cabeça, de barriga, enfim, arrumando todo tipo de desculpa para fugir da escola. Os pais, desesperados, muitos deles em conflito, querendo achar culpados ou culpando-se mutuamente.Os atendimentos finalmente iniciam e a primeira pergunta que os pais nos fazem: “- Em quanto tempo vai haver algum avanço?”.
Atendimentos psicopedagógicos necessitam de muito comprometimento, persistência, assiduidade e paciência, pois não existem milagres.
Por esta razão, se você se identificou com este relato e vivencia esta realidade, o que está esperando? Vá em busca de soluções que possam minimizar as dificuldades de seu filho, leia, pesquise e principalmente...não desanime!

7 comentários:

ESCRITOR E POETA IRISMAR disse...

Ana. Amiga querida.
Parabéns! Pelo lindo blog.
Educativo e, inteligente.
Têm tudo a ver como você.

A vida e um incêndio:
Nela dançamos, salamandras mágicas.
Que importa restarem cinzas se a chama foi bela e alta?
Em meios aos toros que desabam, cantemos a canção das chamas!
Cantemos canção da vida, na própria luz consumida...
Antes, todos os caminhos iam.
Agora todos os caminhos vêm.
A casa é acolhedora, os livros.

Mario Quintana
Poeta gaúcho Nascido a 30 de julho de 1906 em Alegrete /RGS

Irismar

Eni disse...

Tudo que li no seu blog, é uma tremanda realidade.Só lamento os pais não terem acesso e o alcance de suas palavras.
Muitos até gostariam , mas falta-lhes discrenimento, outros coragem pra encarar o desafio, alguns despreendimento.
Mas desejo-lhe êxito em sua caminhada.
Parabéns!

*Lua* disse...

Hum, muito bom o seu blog!

flavinha disse...

E que bom que essas familias podem contar com uma psicopedagoga tao linda em todos os sentidos!! E eu sei pq ja presenciei tantas maezinhas felizes e agradecidas... as crianças entao... rs.. bjsss

Flávio Luiz disse...

Por ser seu marido,talvez seja suspeito para comentar a trajetória profissional de 30 anos da Ana Carmem. Mas vou arriscar: Impecável educadora! Daquelas que levam juntamente com a consciência, o coração para a sala de aula ou para a clínica psicopedagógica.

Cristiane Marino disse...

Ana!!

Só agora consegui fazer um comentário, não abria a janelinha! mas, enfim cá estou eu!!! Amei seu blog de muito bom gosto, uma ótima iniciativa e acredito que as coisas que você comenta aqui são muito pertinentes com o que temos passado, vamos divulgar mais o blog, falta muita informação por isso temos tantos problemas, ou talvez não falte informação mas, acesso e interesse em ter acesso né! um beijo e mto sucesso!!!

Tia Ro disse...

O Ana sou muito sua fã e sinceramente gostaria de ser como vc qdo crescer profissionalmente, vc é um exemplo e tem nos ajudado muito com artigos, noticias, livros e até consultoria on line a nos psicopedagogos mais novatos(crus) nesta jornada. obrigada pela sua sabedoria entre nós.